(43) 3336-8003
(43) 9 9820-9291

Rio de Janeiro investe em segurança privada no Carnaval 2018

Rio de Janeiro investe em segurança privada no Carnaval 2018

Rio de Janeiro investe em segurança privada no Carnaval 2018

RIO - O esquema de seguranças particulares anunciado para o carnaval de rua já saiu do papel. Os agentes trabalharam desarmados nas proximidades dos locais de desfiles. A função deles limita-se à orientação dos foliões, que, eventualmente, podem ser revistados. Usando coletes fosforescentes, eles atuam como uma espécie de stewards, como são conhecidos os seguranças particulares que trabalham nos estádios da Copa do Mundo.

A empresa Dream Factory, que venceu a concorrência da Riotur para organizar o carnaval de rua, contratou a firma de vigilância privada que recrutou os agentes. A Dream Factory não divulgou quanto gastou com a contratação dos agentes. O pacote fechado com a Riotur previa o pagamento de 3.775 diárias para que os seguranças atuem no entorno de 16 blocos que desfilam no Centro e na Zona Sul até o próximo dia 18.

No pré-carnaval, eles já estiveram, por exemplo, nos desfiles da Banda de Ipanema, em 27 de janeiro, com 95 agentes, e no Bloco da Preta, no último domingo, com um efetivo de 200 pessoas. No sábado, serão mobilizados 200 agentes para trabalhar no Cordão da Bola Preta. O efetivo também foi contratado atuar durante os desfiles do AfroReggae, do Monobloco e do Simpatia É Quase Amor.

- Os efetivos foram dimensionados conforme a expectativa de público nos blocos. Eles têm um papel preventivo e trabalham, principalmente, em vias que dão acesso ao local onde os blocos vão desfilar. Se houver necessidade de uma intervenção mais enérgica, eles acionam a Guarda Municipal ou a PM. O esquema também é dinâmico. Caso o público seja maior que o previsto, existe a possibilidade de remanejar efetivos - explicou o presidente da Riotur, Marcelo Alves.

 

FonteO Globo